Seguidores

domingo, 15 de abril de 2018

As coitadinhas

Uma grande fatia das acompanhantes é -o exactamente por não ter qualquer apoio financeiro seja do outro progenitor, seja do Estado... 
Mulheres que se lançaram à vida... E que obviamente lidam com a situação de forma diferente umas das outras. 

As coitadinhas são uma das muitas sub-espécies de acompanhantes. Não interessa a sua fisionomia, conseguem sempre aparentar uma fragilidade cristalina. 
E os homens sentem-se atraídos como traças quando vêm a chama da vela... (mas o que acontece às traças se se chegarem demasiado perto?...pois...) 
Hoje em dia percebo que foi por conta das coitadinhas que tantas vezes se dirigiram a mim com questões absurdas :"Tens filhos? Quantos?idade? Nome?" Assim...a seco... como se terem essa informação fosse alterar algo! 
É que elas falam dos filhos como se nada fosse! Exemplo prático? Um fulano liga...o horário por norma é curto...daí surgir a questão se não poderá ser um bocadinho mais tarde? Resposta? "Ah..É que eu tenho de ir buscar o meu filho à escola..." E pronto...o senhor do outro lado derrete-se todo...pois coitadinha...É uma mãe extremosa... E acaba por fazer das tripas coração para se adaptar ele ao horário dela... Coitadinha..

Claro que existem as que aparentam ser o oposto das coitadinhas... E escrevo aparentam, porque muitas vezes são as "duronas" que carecem mesmo de qualquer apoio...
Não se queixam... recusam-se a dar o flanco... Erguem a cabeça e seguem em frente... mesmo que se sintam estropiadas... dificilmente o demonstram... 
Perante esta aparente segurança os egos masculinos sentem-se minimizados... como não sendo necessários... 
Mas este tipo de mulheres aprendeu a contar consigo e consigo mesma... logo se chorarem será no seu próprio regaço...
(Deixo a adenda pois para alguns será necessária : estou a falar apenas dos adoradores de coitadinhas...) 
As duronas já foram mais doces...mais crédulas...tendo no passado acreditado em palavras de aduladores...Foram frágeis... e continuam a sê-lo... apenas aprenderam a não o demonstrar...
E é aqui que a porca torce o rabo... as coitadinhas são espertas... sabem manipular o homem para seu proveito... sem que ele exulte a mínima queixa...pois coitadinha...ela não tem mais ninguém que a ajude! !! 
O mais irónico é que, por norma, as coitadinhas até têm mais apoio logístico /familiar do que as duronas... mas esquecem-se muitas vezes de o referir... não lhes faz bem à imagem...

As maminhas de plástico

Espero sinceramente que este post sirva de Alerta consciencial para algumas meninas que são acompanhantes e que até pretendem preservar essa vertente profissional discreta.

Eu nada sei, nem pretendo saber, das vossas vidas pessoais. Mas quero deixar o alerta: umas maminhas de plástico podem ter o efeito "tabuleta". Basicamente: as pessoas vão desconfiar (no mínimo) que vocês são acompanhantes. Convenhamos: onde é que uma menina de 19 aninhos, que está na faculdade, tem dinheiro para umas maminhas? Ou a mãe solteira, que supostamente é esteticista ou cabeleireira?
Nem me dei ao trabalho de verificar os custos, mas tenho a noção (por conversas) que será algo entre os 3000 e os 5000 euros. Fora o tempo de recuperação, em que não se pode fazer qualquer esforço!

Portanto, a não ser que se insiram nos círculos que nomearei a seguir, equacionem bem... (Isto se for do vosso interesse manterem-se discretas...)
Se forem ou tiverem sido (até um passado recente) modelos, podem sempre dizer que tiveram o apoio ou incentivo da Agência.
Se estão inseridas num círculo social onde o botox, operações ao nariz, lipos são algo normal e lançarem a conversa de aumentar as maminhas, ninguém irá estranhar.

Bolas de futebol a saltarem do decote chamam a atenção. E se forem mulheres muito jovens, chamam atenções indesejadas. Nenhum homem vai gostar mais ou menos de vocês pelo tamanho das vossas maminhas. Mas muitos irão olhar para vós como prostitutas e com essa consciência vão-se servir de vós apenas como um troféu a exibir.
Amem o vosso corpo...cuidem dele.. e pensem bem se valerá a pena...

sábado, 31 de março de 2018

Contar ou não?

Este artigo tem origem numa ideia (alheia) peregrina: "Quando o meu filho for mais velho vou-lhe contar o que tive de fazer (prostituir-me) para o sustentar."
NÃO !
Tal ideia não é concebível  (pelo menos no meu antiquíssimo cérebro )!
É grotesco uma mãe querer deitar mas costas de um filho o peso da responsabilidade das suas próprias escolhas.
Se um homem adulto, que sabe (na pele) das augruras da vida, tem dificuldade em aceitar que a companheira seja ou tenha sido prostituta! E não estou a referir -me a críticas! Mas à dor de não ter estado lá... à dor que lhe causa não ter podido evitar (mesmo que não se conhecessem à data dos acontecimentos )... à dor de não ter conseguido ajudar mais (para quem se conheceu no meio)...
Ora... se um homem formado leva o seu tempo a processar, mas pelo caminho tentando perceber como apoiar, acham mesmo que um filho conseguirá carregar este peso incólume?
Uma mãe prostituiu-se para lhe dar condições de vida... sim... e? Qual o direito de "partilhar" este fardo com um filho? Que se espera? Que ele a idolatre? Que saia para a rua a dizer:" A minha mãe prostituiu-se para eu ter comida na mesa!" ???
Os filhos devem, na minha singela opinião, ser resguardados de certas situações. Já terão os seus próprios desafios para enfrentar a lidar...

sexta-feira, 30 de março de 2018

Mas estas putas não aprendem?

Um dos melhores elogios que ouvi foi este: "Carlota Amorim é muito giro, mas Sarah Sweet é uma instituição!" Juro que fiquei sem jeito... e sem palavras! Sim..eu..sem palavras!
Compreendo o quão aliciante deve ser utilizar um nome sonante, conhecido, para se atrair clientela... Mas usem nomes de actrizes famosas, por exemplo!
JAMAIS utilizem o nome de uma Acompanhante conhecidíssima na praça... Já houve espertinhas a fazerem-lo anteriormente, e rapidamente ficaram queimadas... É simplesmente FEIO!!!
Apresentando a espertinha de serviço:

http://www.somassagens.com/massagistas/feminino/almada/546-sarah-sweet

Fiquem cientes de que NÃO SOU EU! É UMA IMPOSTORA! UMA APROVEITADORA DA IMAGEM (NESTE CASO NOME ) ALHEIA...

Dei-me ao trabalho de enviar um sms à dita cuja, do neu telefone de serviço. Se for esperta põe o número no Google e percebe com quem está a lidar!

Como não tenho nada a esconder, publico o texto que enviei: " Boa tarde. Só para dizer que eu não tolero imitações baratas. Vou denunciá-la no fórum. Pense em mudar de nome. Bjinho."

Nem me dei ao trabalho de mencionar o meu blog, pois se até clientes me escrevem o nome (por vezes) incorrectamente, o facto de ser uma cópia exacta denuncia que sabe exactamente quem eu sou.... Ou talvez, não tão exactamente...


terça-feira, 20 de março de 2018

Farewell

Bem... chegou a hora de encerrar um ciclo.
Os meus anúncios caducaram... e a minha Hot-line será definitivamente encerrada.
Bem sei que para ser levada a sério e respeitada enquanto massagista, é necessário um (ou vários ) diploma(s) na parede. E é exactamente esse caminho que irei enveredar. Quem já me conhece pode continuar a utilizar o número de contacto e e-mail. Continuarão activos.
Por questões óbvias de privacidade, não vou indicar em que dias e horários estarei no curso.
Como prometido anteriormente  (a palavra dada é honra), a Sarah escritora continuará a dar o ar da sua graça. Ainda falta muiiito por contar...
Um bem haja a todos os que me acompanharam nesta longa aventura...

segunda-feira, 19 de março de 2018

Ser Puta...


Considerem este post como uma continuação deste: https://sarahsweet2008.blogspot.pt/2016/04/queres-ser-acompanhante.html
Na altura não me sentia capaz de escrever sobre o assunto e aproveitei (com a devida autorização) as palavras da Laurinha. Que se mantêm actualíssimas. Mas agora acrescento as minhas...

Se estão a considerar enveredar por este meio, considerem bem todas as opções primeiro. É uma experiência que deixa marcas profundas para a vida. E por mais que se leia, nada nos prepara para a realidade...
Claro que para quem já andava a saltar de cama em cama...incapazes de se dedicar a alguem de corpo e alma (esta ultima principalmente...) a outro que nao a si proprios...será bastante mais fácil a adaptação...a diferença será que agora recebem por isso...o seu egoísmo cêntrico é recompensado...
O que provoca uma imensa euforia... ser-se pago para os outros servirem o nosso prazer é um estímulo novo e desconhecido... Mas que o ego aceita como algo adequado...
Já sei que muitos irão atirar a pedra do "ela está a ser moralista ". Talvez não saibam que eu sou antiquada em certos aspectos. 
Eu não pretendo dizer que eu é que estou certa... pretendo elucidar dois pontos de partida diferentes... mas pela minha perspectiva... antiquada... 
Quem tiver uma educação e personalidade semelhante à minha irá, concerteza, identificar-se mais com as minhas palavras do que aquelas que se consideram (não implica que o sejam...) libertinas... Essas poderão considerar, ao lerem as minhas divagações,  que no seu caso específico terão facilidade em ser putas se assim o entenderem...
A partir do momento em que entram no mundo da prostituição passam a ser um Produto... Infelizmente, hoje em dia, existem muito poucos locais onde a mulher até é vista como ser humano  e respeitada. Na maioria é um Produto, avaliado pela imagem exterior e pelos serviços que está disposta a prestar. Muitas vezes sub-valorizada sem o saber, pois o patronato quer é lucro rápido... o que implica valores irrisórios... Não se sujeitem a isto! O impacto psicológico será mais danoso, quanto mais baixo o valor...
Valorizem locais onde se pré-disponham a fazer-vos uma entrevista. Ficam com uma ideia do local, dos valores praticados, podem colocar questões à vontade (por telefone dificilmente vos respondem). Sítios de "entrada imediata" por norma são manhosos. 
Escolhido o local, trajes e maleta de serviço pronta...
Será que têm noção real de que vão ter de se despir ( ou ser despidas) à frente de um perfeito desconhecido? Que às tantas tem idade para ser vosso avô! E que vos quer dar beijinhos na boca, enquanto vos apalpa o corpinho... O senhor até pode ser um querido, mas não vai deixar de ser um choque emocional... Um banho frio de realidade: "Eu vou ter sexo com um desconhecido! Alguém que eu jamais escolheria para parceiro sexual! E não o posso recusar, pois sou uma prostituta e este agora é o meu oficío!" Claro que nem todos são velhos, nem todos são feios.. Existem homens lindos e novos... Simpáticos, palermas...Há de tudo! E quem consegue ultrapassar o primeiro mês (que é o mais difícil), acaba por começar a engrenar. Aprendemos a cuidar da imagem (do produto) e a sorrir em toda e qualquer circustância... Aprendemos a desligar o botão quando termina o nosso horário e voltamos à vida civil. A forma que Eu encontrei para lidar com a depressão que me causou (inicialmente) este trabalho foi a divisão de personalidades: "Foi a Sarah que fez, não fui Eu. Logo não tenho questões morais a apontar a mim mesma!"
Eu considero que só deve entrar na prostituição quem está em desespero puro. Só assim se terá coragem para dar o primeiro passo, e perserverança para aguentar o tranco. 

Deixo uma ressalva para Todas:
Alguma (das que já trabalharam) se recorda do que fez ao primeiro ordenado? Esfumou -se não foi? Agora imaginem essa sensação durante um ano! Sim..leram bem...se não vierem avisadas o primeiro ano é um desbaratar de dinheiro... É assim que se criam os "vícios "... O problema é que rapidamente deixamos de ser novidade... E apesar de continuarmos a ganhar bem (comparativamente ao comum mortal) passamos a conhecer o pânico que provoca o telefone não tocar... um dia ou dois sem trabalhar... Fomos cigarras... e agora senti-mos as consequências na pele.... Sejam formigas...Sempre! 

sexta-feira, 16 de março de 2018