Seguidores

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Leiria - 12 a 16 Dezembro

Olá meninos, já cheguei a Leiria :)
Estou no mesmo apartamento da última vez.
Para quem não teve oportunidade fica em Nova Leiria, perto do Novo Banco. É um local discreto e privado.

Os horários mantêm-se: das 09h às 02h.
Relembro que na sexta vou-me embora, às 17h.

O contacto mantém-se: 91 663 41 24 ; sarahsweet.escort@gmail.com

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Temporary location

Informo que por questões logísticas esta 2a, 3a e 4a estarei a atender na Av. João XXI.
Atenção que na 4a o horário será como se fosse sexta devido ao feriado. Ou seja, saio às 17h/18h.

Não têm de se preocupar pois o meu atendimento continua independente. ;)
Serei eu que vos receberei à porta, tudo normal.
O espaço, que alguns já conhecem, tem excelentes condições e é tranquilo.

sábado, 19 de novembro de 2016

Leiria - 21 a 25 Novembro

Após muitos pedidos, e imensas tentativas da minha parte de encontrar um apartamento com condições e disponibilidade! Lá consegui.
Estarei a próxima semana em Leiria (Nova Leiria).
O apartamento fica situado perto do Novo Banco, vocês hão-de saber melhor que eu. Eheheheh.

Os horários mantêm-se, tal como os valores.

2a a 5a das 09h às 02h.
6a das 09h às 17h.

Recordo que para horários vespertinos devem efectuar a marcação no dia anterior.

Os valores são:

até 45min - 60 E
até 1h30 - 100 E


Agradeço que refiram logo no início do telefonema se querem informação de massagem, convívio ou dominação.
Beijo

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Contacto



Email: sarahsweet.escort@gmail.com

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

O Menino Mau


 Era uma vez um velho poeta, mesmo um velho poeta verdadeiramente bom. Uma noite, estando em casa, ficou um tempo horrível. A chuva caía torrencialmente, mas o velho poeta estava sentado bem quentinho junto do seu fogão de azulejos, onde o fogo ardia e as maçãs chiavam.
 - Não ficará nenhum fio seco nos pobres que andavam lá fora! - disse ele, pois era um poeta bom.
 - Oh! Abre-me a porta! Estou a regelar e tão molhado! - gritou uma criancinha lá fora. Chorava e batia à porta, enquanto a chuva caía a cântaros e o vento fazia abalar todas as janelas.
 - Pobrezinho! - disse o velho poeta e correu a abrir a porta. Estava ali um menino. Estava completamente nu e a água escorria-lhe pelos longos cabelos loiros. Tremia de frio e se não entrasse, teria concerteza morrido com o mau tempo.
 - Pobrezinho! - disse o velho poeta e tomou-o pela mão. - Vem a mim que te farei aquecer! Vais ter vinho e uma maçã, porque és um bonito menino!
 E era-o. Os olhos pareciam duas estrelas claras e embora a água escorresse do cabelo loiro, encaracolava-se este, contudo, lindamente. Parecia um anjinho, mas estava muito pálido do frio e todo o corpo lhe tremia. Na mão tinha um belo arco, mas estava todo estragado pela chuva. Todas as cores das belas flechas se tinham sumido com o mau tempo.
 O velho poeta sentou-se junto ao fogão de azulejos, pôs o menino nos joelhos, secou-lhe a água do cabelo, aqueceu-lhe as mãos nas suas e deu-lhe a beber vinho doce quente. Voltou então a si, ficou com as bochechas vermelhas, saltou para o chão e pôs-se a dançar à volta do velho poeta.
 - És um menino muito divertido! - disse o velho. - Como te chamas?
 - Chamo-me Amor! - respondeu ele. - Não me conheces? Está ali o meu arco! Sei dispará-lo, podes crer-me! Olha, o tempo está bom lá fora. A lua brilha!
 - Mas o teu arco está estragado! - disse o velho poeta.
 - Isso é mau! - disse o menino, pegando nele e observando-o. - Oh! Está completamente seco, não tem mesmo a mínima avaria! A corda está bem esticada! Vou experimentá-lo! - Assim, esticou-o, pôs-lhe uma flecha, fez pontaria e disparou-o no velho poeta exactamente no coração. - Podes verificar agora que o meu arco não está estragado! - disse ele, deu uma grande gargalhada e partiu a correr, Menino mau! Disparar assim no velho poeta, que o acolheu no aposento quente, que foi bom para ele e lhe deu belo vinho com a melhor maçã!
 O bom poeta jazia no chão e choava, tinha sido atigido mesmo no meio do coração e disse: - Irra! Como é o Amor um menino mau! Vou contá-lo a todos os meninos bons, para que tomem atenção e nunca brinquem com ele, pois faz-lhes mal!
 Todas as boas crianças, meninos e meninas, a quem contou isso, tomarama ssim atenção ao mau Amor, mas ele enganou-os a todos, pois era muito astuto! Quando os estudantes vêm das aulas, corre a seu lado com um livro debaixo do braço e uma vestimenta preta. Não podem reconhecê-lo de modo nenhum e assim tomam-no debaixo do braço e crêem que também é estudante, mas ele então espeta-lhes a flecha no peito. Quando as raparigas vêm do padre e quando estão na igreja, lá está ele atrás delas. Sim, anda sempre atrás das pessoas! Senta-se no grande candelabro no teatro e flameja, de modo que a gente crê que é um candeeiro, mas notam depois outra coisa. Corre no Jardim Real e no Baluarte! Sim, ele uma vez disparou sobre o teu pai e tua mãe no coração! Pergunta-lhes, ouvirás o que dizem. Sim, é um menino mau, o Amor, com ele nunca deves tratar! Corre atrás das pessoas. Pensa que uma vez ele disparou mesmo uma flecha na velha avó, mas foi à muito, já é coisa passada. Mas não o esquece ela nunca! Irra! O mau Amor! Mas agora já o conheces! Sabes que menino mau é!


ANDERSEN, Hans Christian

Os Cisnes Selvagens e outros contos

Editorial Estampa, Lda.

Acabou de imprimir em: Dezembro de 1986





Capuchinho











domingo, 6 de novembro de 2016

Oeiras

Na semana de 14 - 18 Novembro estarei a receber em Oeiras.
É uma moradia, perto do Shopping de Oeiras.
Os horários mantêm-se: 2a a 5a das 09h às 02h. Sexta das 09h às 17h.
Recordo que devem fazer a vossa marcação o mais antecipadamente possível.
As marcações podem ser feitas por chamada, sms ( http://sarahsweet2008.blogspot.pt/2016/09/como-funciona-marcacao-por-sms.html ) ou email : sarahsweet.escort@gmail.com .

Sexta-feira 11 Novembro; Sábado 12 Novembro

Aviso:

Esta sexta-feira, 11 Novembro, estarei a atender no horário completo: até às 02h.
No sábado, 12 Novembro, estarei a receber até às 18h.

sexta-feira, 4 de novembro de 2016

Within Temptation - Angels

Dicas de segurança para deslocação ao Hotel

Agora que já têm as "Dicas de look para ir a uma deslocação", deixo as dicas para o fazerem em segurança.



A forma mais segura de o fazerem é colaborarem com uma agência fidedigna, mas também se podem aventurar sozinhas. Se cumprirem algumas premissas concerteza que tudo correrá pelo melhor.


Em tempos idos colaborei com a EscortMadeira para as minhas deslocações. Ainda era verdinha no meio e não me sentia segura de o fazer sozinha. A telefonista ligava-me a questionar se estaria disponível no horário X. Eu anuindo dava-me o nome do Hotel, o número do quarto, o nome do senhor e qual o valor a receber. À hora marcada ligava-me para saber se já estava no quarto e na hora de término (fosse a que hora fosse!) ligava-me para saber se tinha corrido tudo bem. Um descanso.

Ganhei mais soltura e lá me comecei a aventurar sozinha.
Claro que se para "incall" o que não falta são desocupados a fazerem marcações falsas, para deslocações a hotéis também sucede. E convenhamos que irmos bater à porta de um quarto de hotel sendo uma chamada falsa, provavelmente não irá ter um resultado lá muito agradável...


Quando o potencial cliente vos liga questionem se se encontra no quarto. Por princípio eles indicam logo o hotel em questão. Com toda a delicadeza perguntem se sabe os procedimentos para se deslocarem. A maioria (dos que são efectivamente fidedignos) já sabem, mas reiterem ou informem que precisam do número do quarto e pelo menos do seu último nome. Expliquem que vão ligar para a recepção e pedir para passarem a chamada ao quarto. Desta forma sabem que o cliente está lá mesmo. Aproveitem para saber onde ficam os elevadores. Há hotéis onde eles são meio escondidos.

Informem alguém que vão estar nesse hotel e qual o quarto. Se possível peçam para a pessoa vos telefonar quando tiverem acabado de chegar ao quarto (é uma questão de coordenação). Peçam licença para atender e digam com um sorriso algo como "É a minha colega!" Um "acabei de chegar, está tudo bem" basta. Telefonema hiper-curto mas que lhe demonstra que não estás sozinha. Não há ninguém disponível? Nada como o alarme do telemóvel e uma chamada simulada.

Cumprimentarem o pessoal da recepção do hotel funciona de duas maneiras: passam mais despercebidas, pois quem não deve não teme. E há alguém do hotel que sabe que vocês lá estão. Conheci meninas que indicavam na recepção que iam ter com a pessoa X no quarto Y. É uma opção.

Há também o taxista de confiança. Se não conhecem nenhum indaguem com as vossas colegas. Este taxista para além de não fazer graçolas, se for preciso espera por nós lá em baixo.

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Pequenas coisinhas...

...que têm a capacidade de me tirar do sério:

 - Ligarem-me identificando-se como foristas do GP e ainda me perguntarem quais os valores, o que faço ou deixo de fazer...
Os que ligam a dizer que leram o meu blog e ainda assim nada sabem estão no mesmo pacote!
Se é para demonstrarem a vossa preguiça, mais vale estarem calados e perguntarem as condições do que vos interessa...Simples e eficaz!

Exemplo prático: recebo sms de alguém que afirma seguir o meu blog com regularidade. Questionando se estarei disponível nessa noite... a uma sexta-feira...

- Os telefonemas absurdamente insistentes durante o fim-de-semana... Os anúncios não são claros? É que todos dizem "2a a 6a"...

- Fazerem "ouvidos de mercador" aos meus avisos de que têm de fazer marcação...

Sim eu demoro a arranjar-me pois não passo o dia "pronta" e de perna traçada à espera de telefonemas! Preciso de tempo para tomar um duche, para aquecer/arrefecer o quarto, acender velinhas, colocar um lençol lavado, verificar se o corredor e o WC estão limpos (não desmerecendo as minhas colegas, pois basta entrar alguém com areia nos sapatos ou tomar um banho que mais parece que houve uma inundação!). É que vocês gostam destes mimos, mas alguns esquecem-se que o meu narizinho é de Cleópatra e não de Bewitched.

Portanto se me ligarem a dizer "Olha estou aqui perto, podes-me receber?", a probabilidade de resposta recairá maioritariamente nestas opções:


  • "Estás aí perto, eu não!"  - Esteja eu onde estiver, nem que seja no supermercado, já não dá porque o menino em questão quer "para agora" -_-
  • "Não, pois tenho um agendamento agora/daqui a 30min/1hora."   - Fartei-me de avisar para agendar com pelo menos meia hora de antecedência, que não "encaixo pessoas em buracos de agenda" e que na meia hora que levo a preparar tudo dificilmente atendo o telefone (se for conhecido poderei atender, pois sei que não me tomará muito tempo.)
  • "Não estou arranjada, dá-me pelo menos 15 min!" - A mesma situação da 1a alínea... Está com muita pressa, com muita muita pressa...Anoying...



Custa assim tanto lerem/escutarem as minhas regras com atenção?
Seremos todos mais felizes ;)

terça-feira, 1 de novembro de 2016

terça-feira, 18 de outubro de 2016

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

On the beach

Uma das minhas primeiras sessões... Espero que vos aqueça um bocadinho...






Semana 17 a 20 no Porto

 Olá, finalmente lá me organizei para voltar à Invicta.
Desta vez vim para um apartamento (discreto) em São Mamede Infesta. Fica perto do Hospital de São João.
Ficarei cá efectivamente até 5a feira, pois tenho de regressar na sexta. Ainda não decidi se irei logo de manhã ou depois de almoço, logo se verá.

Veremos se me fazem querer voltar ;)

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Sexta-feira 14 Outubro

Esta sexta-feira, 14 de Outubro, não estarei a atender.
Vou de fim-de-semana mais cedo..eheheh...

Beijinhos

Chemise

Tiradas por um amiguito na Safira.





As que se seguem foram tiradas já sozinha com  webcam.









terça-feira, 11 de outubro de 2016

Rancho das Coelhinhas

Mais uma sessão retirada do baú das recordações...





Little Mermaid

Descobri esta foto, entre outras, no arquivo google do blog. :)


segunda-feira, 10 de outubro de 2016

O violador

Sei que parece um contracenso absurdo: prostitutas a serem violadas? Infelizmente é uma realidade...


Pensava eu que estando um centro de massagens estava mais segura. Que o facto de haver (muitas) mais pessoas na habitação fizesse os predadores recuar... Afinal, a alguns, parece que até os estimula!






"Apresentação!"
Todas se calçam e fazem fila no corredor. Sorriso, 2 beijinhos e o nome. Uma a uma retornamos para a cozinha. Todas comentam o olhar gélido do cliente. Ninguém gostou dele. Estranhamente unânime! Mais estranho ainda quando a japonesinha nos diz que ele lhe fez algumas questões, uma das quais qual a sua nacionalidade. Motivo pelo qual foi pretedida. Eu e outra portuguesa somos chamadas. O olhar analítico dele incomodava. Às tantas lá se decide e aponta para mim. Vou buscar a minha maleta. Banho tomado e deita-se na marquesa para a massagem... Pensava eu! Apenas lhe consegui massajar uma perna e metade das costas! Não parava quieto: sempre a querer pôr-me as mãos em cima. Concluo que não vale a pena continuar na massagem e mando-o para o tatami. Tomo o meu duche e vou para a sua beira. Tudo decorre normalmente até que ele vem para cima de mim e deita o seu corpo em cima do meu. Sinto-o a roçar-se em mim e fecho as pernas instintivamente. Sussurra-me ao ouvido que quer anal. Gracejo que não faço, mas ele não se convence... Continua a sussurar enquanto me prende o corpo com o peso do seu! As minhas pernas estão seladas uma na outra, pois ele neste momento já me está a tentar forçar. Enquanto murmura :" Vá lá só um bocadinho". Por esta altura já estou completamente apavorada, grito nãos sucessivos enquanto me contorço parecendo um peixe fora da água a lutar pela vida! Um dos motivos do meu pânico era o tamanho e a grossura do seu pénis. Se ele realizasse o intento de chegar ao meu ânus eu sairia dali directamente para um hospital, pois iaria rasgar-me com toda a certeza.
De repente (nem eu sei como), consigo que saia de cima de mim. Fico sentada no tatami em estado catatónico por uns largos segundos. Ele faz-me festinhas no braço enquanto sussura com uma voz (quase) doce :" Está tudo bem, está tudo bem. Deita-te aqui". Quase me deitei! Mas tenho um ataque de lucidez e dou um salto.
Por questões que não são chamadas ao caso, a dona da casa tinha-nos pedido para não andarmos nuas pela casa. Com esse pensamento gravado na mente em vez de me dirigir logo para a porta, dou a volta à marquesa para apanhar a minha toalha que estava no cadeirão. Esta fracção de segundos foi o suficiente para ele se colocar entre mim e a porta! Estava virado para mim e tinha a mão esquerda a bloquear-me a passagem. Nem sei como, mas fui buscar força ao fundo das minhas entranhas e disse num tom grave: "Ou me sais da frente ou eu grito!" A (falsa) segurança na minha voz foi o suficiente para o fazer recuar ligeiramente. Consegui aceder ao trinco da porta, abro-a e passo por baixo do braço dele! Nunca aquele corredor me pareceu tão comprido! Entro esbaforida pela cozinha adentro: "A Marlene, onde está a Marlene?"- consigo balbuciar. Não está ali... As meninas olham-me com espanto... Os meus olhos são de uma tresloucada, a minha tez está da cor da cal, a minha respiração acelerada e não consigo falar... Preciso de me encolher a um canto...A porta do lado é da nossa casa-de-banho. Sento-me em cima do tampo e encosto-me à parede. Toda eu tremo. São tantas que assomam que aquele cúbiculo parece uma estação de metro em hora de ponta! Falam comigo, mas eu não consigo responder... Alguém me traz um copo de água com açúcar, a minha respiração acalma e eu consigo entre lágrimas verbalizar: "Ele tentou violar-me!" A indignação é geral... Lá aparece a dona da casa, vai falar com o fulano e retorna dizendo que ele quer me dar uma palavra! Pânico! Fiquei histérica! Nem pensar em enfrentar aquele animal! Apesar da insistência neguei veementemente novo contacto.
Da parte dele a indignação era enorme! Não queria pagar, pois nem sequer se tinha vindo! Indignadíssimo, como se ele fosse efectivamente o lesado! Como se não tivessem sido as acções dele a ditar tal desfecho! Foi-se embora (junto com o seu inocente companheiro de aventuras) a vociferar escada abaixo que jamais voltaria a tal centro...
Duche tomado, uma roupa vestida... E o quarto está como ficou... Não consigo... O choque foi tal que nem consigo entrar no quarto. Vão duas colegas comigo e fazem tudo por mim... Eu mal passo da soleira da porta... Olho para a bancada... Está ali o pagamento... Não lhe quero pegar, mas sei que se não o fizer a casa fica com ele... Pego, e novo choque: só estão ali 20 euros! Senti-me algo (sim algo) absolutamente reles... Senti-me violentada de novo...
Infelizmente jamais me esquecerei dele...

terça-feira, 27 de setembro de 2016